fbpx

Como emitir o Bloco K no Protheus?

Emitir o Bloco K no Protheus fica muito mais simples do que realizar outras ações com as quais a gestão contábil da sua empresa deve estar acostumada. Afinal, o processo de escrituração fiscal em atividades industriais e atacadistas é extremamente complexo.

Entre as obrigações acessórias está o preenchimento do SPED Fiscal, um sistema federal de escrituração. Ele é composto por diversos blocos temáticos, cujos nomes se referem a uma letra do alfabeto. O Bloco K abrange o controle do uso de insumos para a produção ou comercialização.

Nesse sentido, é imprescindível contar com módulos capazes de apresentar os campos de preenchimento de forma intuitiva, rodar diagnósticos, fazer a catalogação de itens e movimentações de acordo com os códigos da Receita e, por fim, integrar-se ao SPED Fiscal.

Quer saber como funciona essa e outras funções de Bloco K no Protheus? Acompanhe!

Como emitir o Bloco K no Protheus?

Cumprir essa obrigação fiscal acessória eficientemente é uma forma de evitar diversas penalidades, que tomam o tempo e o dinheiro dos negócios. No entanto, essa tarefa não é muito fácil de ser executada manualmente ou digitalmente com um baixo nível de automação.

Por esse motivo, o Protheus apresenta um submódulo bastante completo específico para o Bloco K dentro do módulo de SPED Fiscal. Apesar de ele facilitar bastante a inserção dos dados, você precisa seguir alguns passos manuais para a inserção. Vamos falar sobre eles agora!

Compreender as informações exigidas pelo Bloco K do SPED

O primeiro passo para conseguir uma emissão adequada do Bloco K é saber como funcionam os registros no SPED. Eles exigem diversas informações, sendo as principais:

  • Registro K100 (Período de Apuração do ICMS/IPI);
  • Registro K200 (Estoque Escriturado): é o saldo de estoque da empresa, ou seja, a diferença entre o que constava no inventário no início e no fim do período de apuração do Bloco K;
  • Registro K220 (Movimentações Internas): são as transações de mudança de inventário que não implicam a transferência de poder de um produto para terceiro, como alterar o código de um insumo devido à mudança de destinação na produção;
  • Registro K230 (Produção): registro de ordens de produção e dos resultados efetivos da produção qualitativa e quantitativa;
  • Registro K235 (Insumos Consumidos): suprimentos que foram efetivamente consumidos para a produção citada acima;
  • Registro K250 (Produção por Terceiros): mercadorias que foram produzidas por terceirização de serviços;
  • Registro K260 (Reprocessamento da Produção): mercadorias que voltaram para processos de reindustrialização na linha de produção;
  • Registro K270: Correção.

Inserir as informações corretamente em outros módulos

Como o Protheus é um ERP com módulos integrados, nem sempre todas essas informações serão inseridas pelo usuário no módulo fiscal. Elas serão primeiramente registradas nos módulos temáticos mais relevantes para os processos da empresa.

Por exemplo, em relação ao estoque, as ferramentas de registro constam no módulo de Estoque/Custos do Protheus. Assim, o módulo de bloco K fará a importação automática dessas informações de acordo com as regras predefinidas no algoritmo do ERP. Nesse sentido, como a Receita Federal exige somente a escrituração dos Tipos 00, 01, 02, 03, 04, 05 e 10, apenas esses são integrados.

Como haverá operações de catalogação de insumos e produtos de acordo com as exigências do SPED em outros setores, é importante treinar os funcionários sobre a importância dessa tarefa e como fazê-la corretamente.

Fazer o diagnóstico do Bloco K

Depois de garantir a eficiência de todas essas etapas, será o momento de rodar um diagnóstico de possíveis erros que podem gerar inconsistências na emissão do Bloco K em si. Assim, ao final, você terá um relatório de escrituração completo e preciso.

Para isso, dentro do módulo de Estoque/Custos, você deverá acessar o menu de consultas. Depois disso, entre em cadastros e em “Diagnóstico Bloco K”, que é uma funcionalidade integrada com o módulo fiscal.

Aqui, é importante notar que não ocorre a identificação de problemas na transmissão do arquivo para o SPED, mas apenas a verificação da consistência dos dados em relação à parametrização e aos processos de Bloco K.

Na página inicial, você poderá escolher alguns filtros relacionados ao período de processamento, que alimentarão o Registro K100. Então, será o momento de realizar a configuração para envio, em que você vai selecionar os parâmetros de envio e inserir dados sobre o estoque negativado, a amarração do produto, a desmontagem e as operações de retrabalho.

Emitir o Bloco K

Depois de realizar esse diagnóstico de inconsistências para evitar a recusa da sua escrituração, será o momento de fazer a emissão em si. Para emitir o relatório que é enviado à Receita Federal, você deverá acessar a ferramenta EFD ICMS/IPI no módulo de SPED Fiscal.

Então, o sistema abrirá uma tela com parâmetros para a geração. Geralmente, há os seguintes campos:

  • Início da obrigação Escrituração Fiscal CIAP;
  • Considera valores de Pis/Cofins?;
  • Gera Bloco K, em que você vai preencher com a resposta “sim” e selecionar os registros que serão criados;
  • Reg. 0210 por mov?;
  • Gera registros DIFAL (EC 87/15)?;
  • Motivo do Inventário;
  • Gera Registro 0400 – Natureza da oper./Prestação?;
  • Gera motivo H20 – Motivo do inventário 01?.

Depois disso, você deve clicar em avançar para gerar um arquivo TXT para envio ao SPED.

Quais são os benefícios de utilizar o ERP Protheus para o Bloco K?

Todas as ações relacionadas à escrituração fiscal da linha de produção ficarão muito mais simples com o Protheus. Afinal, todos os dados relacionados ao controle de produção que você já faz habitualmente serão automaticamente importados pelo módulo fiscal do ERP.

Assim, não será preciso que um colaborador copie e cole essas informações de outro sistema ou livro fiscal. Isso traz muito mais produtividade ao seu negócio, visto que não haverá tarefas redundantes.

Com um bom treinamento, o pessoal da logística poderá cuidar apenas do estoque, o de operações apenas da produção e o time fiscal das obrigações tributárias. Não será necessário que eles parem vários dias durante o período de entrega do SPED para fazer um balanço de estoque e produção.

Além disso, o sistema é atualizado sempre que há uma mudança nas regras de escrituração. Assim, você não precisará se preocupar em ter que mudar vários parâmetros e processos quando isso ocorrer. O sistema cuidará de tudo sozinho. Portanto, emitir o Bloco K no Protheus facilitará bastante o compliance fiscal da sua empresa, ao mesmo tempo em que aumentará a eficiência dos processos de ponta a ponta.

Quer saber mais sobre outras ferramentas tecnológicas que podem otimizar os processos do seu negócio? Assine a nossa newsletter!

atosdata

Esta postagem possui 0 respostas

Comentários aberto

Deixe uma resposta

Você pode usar esses atributos do HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>