fbpx

Veja quais são os relatórios gerenciais imprescindíveis para qualquer negócio

Ferramentas essenciais para uma gestão estratégica, os relatórios gerenciais contemplam diversos setores de uma empresa e auxiliam a rotina de tomada de decisões. 

Os relatórios gerenciais são muito importantes para a administração dos negócios em geral. Por meio desses documentos, o gestor tem acesso a informações úteis para análise e avaliação de desempenho, por exemplo. Eles trazem diversos ganhos qualitativos que auxiliam a orientar sobre as estratégias traçadas, criar metas de crescimento realistas e otimizar a tomada de decisão.

Segundo a Roland Berger, em um estudo de empresas listadas na Bovespa, 40% das maiores organizações de nosso país estão muito endividadas, com débitos que chegam ao valor de R$420 bilhões. E é justamente por meio dos relatórios gerenciais que as empresas têm um demonstrativo da situação da empresa. Caso haja alguma necessidade de correção, esses estudos ajudam a encontrar as devidas soluções e pontos de melhorias para que os gestores tomem medidas em tempo hábil, especialmente se contarem com o apoio de soluções tecnológicas. Por isso, é importante contar com informações sempre atualizadas e consistentes.

Pensando nisso, separamos neste artigo os relatórios imprescindíveis para qualquer empresa. Confira!

Como os relatórios gerenciais contribuem com a sua empresa?

Os relatórios gerenciais reúnem, de maneira objetiva, as informações e dados que os gestores e líderes de uma empresa precisam para entender em que situação ela está e quais estratégias precisam ser elaboradas. Por serem documentos essenciais para a tomada de decisões, eles precisam conter informações úteis, serem muito objetivos, atualizados e confiáveis.

Por isso, um dos primeiros cuidados a se tomar para elaborar bons relatórios gerenciais é criar uma metodologia, de forma que você compreenda quais informações precisam estar nesses documentos e qual objetivo deve ser alcançado.Também é essencial contar com bons sistemas de levantamento de dados e uma equipe capacitada para tal. Entenda no tópico a seguir!

Como elaborar um relatório gerencial?

Para entender quais informações serão apresentadas, qual a melhor linguagem e formato aplicar, siga as etapas que listamos abaixo.

Entenda qual é seu objetivo

Mesmo que sua lista de objetivos possa parecer extensa, é importante que você selecione os que sejam mais importantes. Em geral, eles se relacionam aos âmbitos financeiro ou de controle, mas também podem ser relativos ao bem-estar dos colaboradores ou à infraestrutura da empresa.

Procure definir os objetivos de uma maneira concisa e de fácil compreensão.

Analise o conteúdo

Após definir seu objetivo, você tem mais recursos para entender quais informações serão relevantes para aquele relatório. Se for um documento de teor comparativo, por exemplo, é preciso que as informações sejam relativas a um mesmo período e tenham sido obtidas nas mesmas condições.

Tenha cuidado também para não colocar mais informações que o necessário. Afinal, esses documentos são direcionados para pessoas que têm rotinas bastante atribuladas. O objetivo é ajudar na tomada de decisões, não torná-la mais complexa.

Pesquise formatos

Para entender qual é o formato ideal, você precisa entender o que será apresentado e para quem. Um relatório focado em investimentos, por exemplo, pode requerer mais gráficos e índices. Um documento com foco em vendas pode ser melhor aproveitado com tabelas.

O importante é que o relatório seja prático e ajude o público-alvo a assimilar as informações de maneira prática.

Relatórios gerenciais importantes para a sua empresa

Ferramentas essenciais para qualquer planejamento estratégico, os relatórios gerenciais ajudam a reduzir erros, monitorar a produtividade e elaborar metas mais concretas. Confira quais são os principais tipos a seguir.

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa mostra a medição do resultado das atividades de entrada e saída monetárias da empresa durante um determinado período. A demonstração de fluxo de caixa é a diferença entre os créditos e as despesas, ou seja, movimentações financeiras líquidas, que em termos de valor, igualam a mudança no saldo de caixa. Podemos destacar:

  • a capacidade da empresa de gerar fluxos de caixa e gastá-los racionalmente;
  • performance de vendas;
  • o período de realização de entradas e saídas e o grau de certeza da sua efetivação;
  • alterações nos ativos líquidos e na sua estrutura de financiamento;
  • lucro e fluxo de caixa.

Satisfação

Os relatórios de satisfação podem avaliar o comportamento de colaboradores e de clientes. No primeiro caso, as empresas precisam investir em pesquisas para entender a situação de seus funcionários, criando um espaço seguro para que eles se expressem e possam sugerir melhorias.

Já no segundo, a empresa pode recorrer a uma série de métodos, como o Net Promoter Score (NPS), entrevistas com públicos segmentados, avaliações online e outros métodos.

Financeiro

O relatório financeiro mostra a real situação do negócio nesse âmbito. Além do fluxo de caixa, que já explicamos anteriormente, você também pode fazer relatórios de investimentos, custos, orçamentos e níveis de inadimplência.

Para realizar essa descrição de maneira eficiente, você deve trazer informações analisadas por meio de indicadores financeiros, como o Retorno sobre Investimentos (ROI), níveis de endividamento, ticket médio, entre outros, que variam de acordo com seus objetivos. Todos esses elementos vão ajudar a esclarecer o panorama orçamentário da sua empresa, como:

  • analisar a existência de viabilidade para realizar novos investimentos;
  • verificar se o caixa pode arcar com as despesas futuras;
  • mensurar riscos orçamentários;
  • fazer o balanço de pagamentos;
  • projetar despesas.

Especialmente para esses relatórios, é importante que sua empresa faça uma conciliação bancária. Por ela, o gestor consegue conferir todas as movimentações que foram feitas e os registros produzidos pela empresa.

Produtividade

A produtividade é um ponto crítico para o crescimento da empresa e, por isso, precisa haver uma atenção voltada à queda de produção da equipe. Esse é o foco desse relatório, apresentar quais colaboradores se destacam em suas atividades, quanto a organização conseguiu entregar em um mês, além de apontar os gargalos que dificultam a eficiência. Para isso, são utilizados objetivos, metas e indicadores-chave, que nos permitem mensurar e acompanhar a performance de terminadas equipes ou equipamentos.

Dentre os relatórios gerenciais, esse acaba sendo o que funciona como um termômetro indicador dos momentos necessários para intervir com treinamentos motivacionais e reorganização das equipes.

Contábeis

Mesmo nas empresas adeptas do Simples Nacional, o relatório contábil garante que o seu negócio não tenha problemas com o Fisco. Além de trazer informações a respeito de demonstrativos, ele pode ser utilizado para acompanhar se todos os impostos estão sendo pagos corretamente.

Esses dados dão base para a administração financeira da instituição, como análise de despesas, de vendas, Balanço Patrimonial, DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) e giro de estoque, por exemplo. Vale ressaltar que, a saúde contábil de qualquer segmento de mercado é essencial, por isso, ter dados organizados em relatório permite um controle objetivo e formalizado para o gestor.

Os relatórios gerenciais, para serem efetivos, devem ser elaborados com boa apresentação, informações muito bem-apuradas, ter finalidade clara, serem funcionais e completos para a função  que se destinam. Assim, haverá relevância e objetividade para a avaliação e tomada de decisão assertiva.

Agora que você conhece os relatórios gerenciais imprescindíveis para o seu negócio, entre em contato e conte com a gente para elaborar os seus! Com soluções corporativas focadas em resultados, contamos com uma metodologia robusta de implantação de projetos e área de suporte remoto com profissionais especializados para facilitar a sua rotina.

atosdata

Esta postagem possui 0 respostas

Comentários aberto

Deixe uma resposta

Você pode usar esses atributos do HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>